Rio de Janeiro,
Não Desanime: A Morte Não Existe

 No dia 2 de Novembro anualmente reverenciam-se os "mortos", como são chamados aqueles que já fizeram a passagem da vida carnal à vida espiritual. Desde a publicação de "O Livro dos Espíritos" por Allan Kardec, multiplicam-se as mensagens que testemunham a sobrevivência do espírito. "O Jaguar" publica nesta edição alguns ensinamentos contidos em nosso livro "Grandes Mensagens" sobre os nossos futuros encontros com entes queridos.

 • O MEDO DA MORTE

A biografia de todo ser humano se resume em três palavras, nascer, viver e morrer. Para que, pois, este horror à morte, este pavor, esta mágoa, que a muitos transforma em verdadeiros farrapos, quando da partida de um ente querido?

Todo ser humano tem que morrer um dia, foi dito. Portanto, em vez desse pavor, desse medo, dessa angústia, deveis preparar-vos para esse grande dia, assim como vos prepareis para fazer uma viagem, assim guardando coisas, riquezas para um futuro, para uma velhice que talvez nunca alcanceis. Assim, deveis preparar-vos para essa grande viagem, purificados pelo amor de Deus. "Nós somos os verdadeiros vivos, eu posso dizer assim porque me sinto mais vivo, mais forte, mais elucidado, do que quando era humano".

 • A CONSOLADORA

A morte não é uma visita que deveis repelir quando chegar à vossa casa. Não. Deveis recebê-la com toda boa vontade, porque, tristes de nós, triste a humanidade, se Deus, na Sua divina sabedoria, não vos mandasse esta grande consoladora. Consoladora, sim, pois o que seria dos ódios, das vinganças e dos crimes cometidos se não houvesse a morte, reconciliadora de todas essas misérias?

Que seria das dores morais e físicas? Sim, a morte, com sua visita benfazeja, só visa aliviar-vos.

 • A TRISTE SEPARAÇÃO

É triste a separação de um ente querido. Deixa-nos saudade e amargura. Mas vós, espíritas, principalmente, deveis pensar e compreender que esta separação não será eterna; que um dia todos estarão novamente juntos, que um dia gozareis muito mais a presença daqueles entes que partiram, muito mais do que quando eles existiam, porque os vossos encontros serão vivos! "Peço a Jesus, o Divino Mestre, que deixe cair sobre os vossos espíritos a clareza, o raciocínio perfeito da verdade, para que não tenhais dentro de vós o pavor por este desconhecido que chamais de "morte". Que procurem compreender que um dia haverá um encontro e que muitos encontros já se foram dados e que esses encontros se repetirão muitas vezes ainda.


Petitinga

Home | localização | Contato Todos os direitos reservados à T.I.O